DOENÇA DA MANCHA BRANCA DO CAMARÃO CINZA (Litopenaeus vannamei)

DANIELA ROCHA LUZ SOUSA, ELEONORA D´AVILA ERBESDOBLER, MARGARETI MEDEIROS, STEFANIA MÁRCIA DE OLIVEIRA SOUZA

Resumo


A carcinicultura e a aquicultura vem crescendo exponencialmente nos últimos anos. O vírus da mancha branca teve sua origem na Ásia na década de 90, e desde então acarretou grandes perdas econômicas entre os países afetados e diminuição da produção de pescado viáveis para comercialização brasileira. Essa doença ainda pouco conhecida apresenta animais assintomáticos tornando seu diagnóstico tardio. Este estudo tem como objetivo descrever sobre a doença da mancha branca em crustáceos e especificamente seu impacto produtivo na espécie exótica de camarão marinho Litopenaeus vannamei. Esta doença tem etiologia viral, gênero Whispovirus, família Nimaviridae. O sinais clínicos comuns no camarão são letargia, redução da ingestão de alimentos e presença de manchas circulares de cor avermelhada ou esbranquiçada em sua carcaça. A replicação do vírus está principalmente associado ao estresse ambiental em criadouros, causando desequilíbrio no ph e da temperatura da água de cultivo, a queda de concentração de oxigênio, entre outros fatores. Acredita-se que a disseminação do vírus no mundo foi inicialmente através da exportação de camarão congelado e vetores contaminados. É um vírus que causa 100% de letalidade nos criadouros. Dessa forma, é necessário a intervenção com medidas preventivas rigorosas e de biossegurança.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Científica de Medicina Veterinária - REVET - ISSN 2448-4571

Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos - UNICEPLAC

Gama Leste, Brasília - DF

revista.veterinaria@uniceplac.edu.br