INFLUÊNCIA DA FORMA DE COLOSTRAGEM SOBRE PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS DE BEZERROS

ANA CAROLINA MIRANDA LOPES, CAROLINE LAVOCAT NUNES POLLINI, CLEYBER JOSÉ DA TRINDADE DE FÁTIMA, CAROLINA MOTA CARVALHO

Resumo


A bovinocultura é uma atividade com grande importância na realidade econômica do país. Todo início de produção baseia-se na criação de bezerros, visto que esses animais serão as próximas unidades produtivas. Os bezerros são animais que não adquirem imunidade na vida uterina, devido ao tipo de placenta materna que impede a passagem de imunoglobulinas. As imunoglobulinas representam a imunidade humoral do neonato e sua adequação é através da ingestão do colostro. O presente trabalho objetivou comparar dois métodos de colostragem em animais criados em sistemas de produção diferentes. Foram analisados volume globular (VG), proteína total (PT), albumina e globulina. Foram avaliadas amostras de sangue de 96 bezerros, de ambos os sexos, em propriedades distintas no Distrito Federal e entorno, separados por grupos de acordo com o sistema de criação. O grupo A foi integrado pelo sistema argentino tropical, e os animais recebiam colostragem de forma artificial e o grupo B era formado por animais criados no sistema extensivo com amamentação voluntária. Os animais do grupo B apresentaram valores superiores de VG, albumina e globulina (p<0,05) quando comparados ao grupo A. O valor maior de globulina observado no grupo B está diretamente relacionado com a eficácia da transferência de imunidade pelo colostro, sugerindo que o aleitamento natural garante maior eficácia na transferência de imunidade passiva quando comparado ao aleitamento artificial.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Científica de Medicina Veterinária - REVET - ISSN 2448-4571

Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos - UNICEPLAC

Gama Leste, Brasília - DF

revista.veterinaria@uniceplac.edu.br