SÍNDROME ÚVEODERMATOLÓGICA EM UM CÃO DA RAÇA AKITA – RELATO DE CASO

AMANDA DE OLIVEIRA DE BARTOLO, ANA CAROLINA DA VEIGA RODARTE, BRUNO ALVARENGA DOS SANTOS, FABIANA SPERB VOLKWEIS, GUILHERME KANCIUKAITIS TOGNOLI

Resumo


A síndrome úveodermatológica (SUD) é uma afecção autoimune que causa distúrbios dermatológicos, oftálmicos e neurológicos, sendo o último menos frequente. Nessa síndrome, os linfócitos T possuem reação contra os melanócitos da úvea e da pele. Em cães, cita-se a predisposição das raças Akita, Samoieda, Golden Retriever, Husky Siberiano e Chow Chow, em que os pacientes apresentam em sua maioria cerca de três anos de idade e sem predileção por sexo. Seus principais sinais clínicos são a uveíte, normalmente bilateral, e a despigmentação da pele em região de face. O diagnóstico da SUD é confirmado através do exame histopatológico, em que se observa histiócitos, dermatite liquenoide e infiltração de pequenas células mononucleares e células gigantes, sugerindo uma dermatopatia autoimune. Como tratamento controle indica-se prednisolona oral, colírio de atropina e colírio a base de dorzolamida e timolol em casos de alta pressão intraocular. O tratamento deve ser feito até o fim da vida do animal e após a melhora a dose deve ser diminuída, associando a imunossupressores. O presente relato possui como objetivo descrever um caso de uma cadela da raça Akita de sete meses de idade apresentando a SUD, doença incomum na rotina clínica, para alertar o médico veterinário sobre a ocorrência da doença e seu respectivo tratamento. É importante seu conhecimento para chegar a um rápido diagnóstico e tratamento, preservando assim a visão do animal.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Científica de Medicina Veterinária - REVET - ISSN 2448-4571

Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos - UNICEPLAC

Gama Leste, Brasília - DF

revista.veterinaria@uniceplac.edu.br