TÉTANO CANINO APÓS ORQUIECTOMIA– RELATO DE CASO

Deborah Cristina Ferreira

Resumo


O tétano é uma doença causada pela toxina tetanospamina produzia pela bactéria Clostridium tetani e pode acometer animais e humanos. Normalmente quando um impulso nervoso gera uma contração muscular, de imediato o músculo oposto recebe um sinal para relaxar. Quando o animal está com a neurotoxina tetânica há um bloqueio na via de relaxamento e faz com que o conjunto de músculos se contraia. Há diferença entre as espécies quanto a dificuldade para a toxina penetrar e se ligar no tecido nervoso. Os animais mais susceptíveis ao tétano são os eqüinos, sendo cães e gatos mais raros de contrair a doença. Relata-se o caso de um cão que foi diagnosticado com tétano após orquiectomia bilateral no qual evoluiu para o quadro de morte. O animal foi diagnosticado com tétano através os sinais clínicos de enrijecimento difuso, postura de cavalete, trismo, risos sardônicos, rigidez do pescoço e cauda, orelhas apontadas e enrijecidas, dispnéia, decúbito lateral permanente, cauda ereta, salivação, desidratação e fotossensibilidade. É importante definir o diagnóstico de maneira precoce e iniciar o tratamento para evitar que o animal apresente um estado de comprometimento generalizado e piorando ainda mais o prognóstico do paciente. Neste relato o paciente infelizmente teve evolução para óbito.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Científica do curso de Medicina Veterinária - FACIPLAC

Revista Científica de Medicina Veterinária - REVET - ISSN 2448-4571

Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos - UNICEPLAC

Gama Leste, Brasília - DF

revista.veterinaria@uniceplac.edu.br

Editora-Gerente: Profa. Dra. Daniela Carrilho de Jesus

Editora-Seção: Profa. Dra. Tatiana Guerrero Marçola